“Os bravos homens do mar”

 

Texto: João Franco ‘Lapina’ | Fotografia: Nelson Jacinto

 

Os intrépidos pescadores
São catadores de estrelas
Singelas! e de todas cores
Uns primores, só de vê-las

Os bravos homens do mar
Levam no olhar a maresia
De dia pescam a fantasiar
E ao luar espraiam magia

Sabem as lajes e fundos!
São oriundos dos tempos
Notam ventos profundos!
E abundos contratempos

Os pescadores são subtis!
Com o cariz insubmisso!
Têm o feitiço por matriz!
E por sua raiz o salgadiço!

Lobos do mar, se calhar
Até seres humanos são!
Não só voltam p’ró mar
Como, ao ficar, têm pão!