Feira dos Alhos realiza-se no fim-de-semana

 

Fotografia: AZUL

 

Está quase a chegar a Feira dos Alhos, que este ano se irá realizar durante o próximo fim-de-semana: nos dias 24 e 25 de Julho – Sábado e Domingo, portanto – o Largo de São Sebastião, na zona Norte da vila jagoza, servirá de posto de intercâmbio entre diversos produtores de terras vizinhas e gentes que aqui abastecem as suas despensas com alhos (e outros produtos alimentares tradicionais da região) para os próximos meses.

Baptizada originalmente Feira de Santiago (em honra do Santo homónimo a quem é consagrada a data central da feira – 25 de Julho) é popular e ancestralmente conhecida como “Feira dos Alhos”. Remonta ao Século XVII, sendo de 1673 o Alvará Régio que a instituiu. A partir de 1888 passou a realizar-se no terceiro Domingo de Setembro, desconhecendo-se quando terá retomado ao Dia de Santiago.

devido ao actual contexto pandémico, deverão ser asseguradas as indicações das autoridades de saúde

Este tradicional evento é tão importante que Julho é conhecido como “o mês da feira” na Ericeira, durante o qual costuma predominar a nortada – esta feira já apresentou vários figurinos, mantendo-se nos dias de hoje a venda de alhos como matriz essencial.

Nos finais do Século XX prolongava-se por vários dias e realizava-se em terra batida, no terreno sobranceiro à Praia de São Sebastião, com imensa animação proporcionada pelos carrósseis e vendedores ambulantes de todo o género de produtos, dos têxteis às guloseimas e cassetes piratas. Com a construção do Parque Urbano, passou para o espaço vizinho à Ermida e retomou a sua função original.

De acordo com um comunicado emitido pela Junta de Freguesia da Ericeira, “a feira realizar-se-á nestas datas se nada em contrário for determinado pelas entidades competentes devido à pandemia do Covid-19.”

Este ano, tal como em 2020, devido ao actual contexto pandémico deverão ser asseguradas e cumpridas a indicações das autoridades de saúde e não só, nomeadamente o respeito pelas normas de distanciamento social, a frequente higienização das mãos e ainda a utilização de máscara.