Taça de Portugal de Surfing rendeu 400 mil euros à economia local

Taça de Portugal de Surfing 2018 - ph. Pedro Broeiro

 

Fotografia: Pedro Broeiro

 

A Taça de Portugal de Surfing 2018, recentemente disputada na praia da Foz do Lizandro, não foi apenas um sucesso em termos desportivos: a ‘prova rainha do surf nacional’, vencida de forma inédita pelo Ericeira Surf Clube, terá trazido “à economia local um valor de aproximadamente 418.573€”.

Esta é, claramente, a principal conclusão resultante dum estudo realizado pela 2ii – Informática & Informação Lda – Consultores de Marketing e Estudos de Mercado que, no âmbito do OBSURF – Observatório do Surf, deu assim início à análise do contributo das provas de surf para as localidades onde decorrem esses mesmos eventos.

A 2ii – Informática & Informação Lda, que já tinha produzido documentos sobre o perfil dos surfistas na Ericeira e sobre o Turismo na região de Mafra e Ericeira, desta vez debruçou-se sobre um campeonato realizado no início de Setembro e no qual estiveram presentes 295 atletas de vários clubes e ainda mais de 2500 espectadores.

E é precisamente a partir desta conjugação (atletas + espectadores) que a empresa, após a realização de um inquérito, com recurso a uma amostra de 300 pessoas entrevistadas, chegou a uma série de conclusões, várias delas bastante interessantes e até algo surpreendentes.

Registado um total médio de gastos de 323,76€ por pessoa

Apresentamos de seguida os dados mais relevantes resultantes deste estudo:

– 53% de quem assistiu ao evento veio de fora do concelho
– Destes, 81,1% ficaram alojados no concelho
– Assistiram em média a 2,5 dias de provas
– Em média gastaram 129,50€ por dia
– No total contribuíram para a economia do concelho com aproximadamente 419.794,27€ (residentes e não residentes no concelho de Mafra)
– Os visitantes de fora do concelho de Mafra contribuíram para a economia local com 418.573,12€
– 78,3% vieram com outras pessoas
– Para 46% dos inquiridos de fora, a probabilidade de voltar em férias ou lazer é elevada

Dos inquiridos que vieram de fora do concelho 81% ficaram alojados na Ericeira ou em Mafra – principalmente no Parque de Campismo, em casa ou apartamento alugado e em hostel, hotel ou pensão –, sendo precisamente os gastos em estadia ou alojamento os mais significativos, numa média de cerca de 200€ por pessoa.

Registado um total médio de gastos de 323,76€ por pessoa e tendo em conta que “dos 2535 envolvidos no evento, 1293 vieram de fora do concelho de Mafra, sendo os restantes 1242 residentes nos arredores”, a 2ii calculou o retorno financeiro do evento para a economia local.

De acordo com os cálculos baseados no inquérito, “1293 pessoas deslocadas gastam uma média de 323,76€ nos 2,5 dias em que assistem ao evento, com uma média diária de 129,50€”. Desta forma, “no total a Taça de Portugal de Surfing 2018 trouxe à economia local um valor de aproximadamente 418.573€.”