«Tenho a sensação que vou morrer no oceano»

Joana Andrade - ph. DR

 

Fotografia: DR

 

A Immersion surf magazine – the women’s voice of surf, site internacional especializado em surf feminino, publicou recentemente um artigo protagonizado por Joana Andrade, surfista local da Ericeira que se tem distinguido nas ondas grandes. E a frase destacada no nosso título é uma das passagens mais fortes.

surfar é diversão e conectarmo-nos com o mar e conosco

Em “Meet the locals: Ericeira’s big wave rider Joana Andrade” (ou seja “Conhecer os locais: a surfista de ondas grandes da Ericeira Joana Andrade”) a autora Aleksandra Yurchenko descreve Joana como “uma mulher delicada”, num acentuado contraste com a sua ousadia marítima.

Vi o Garrett McNamara a surfar ondas com mais de 20 metros e lembro-me de pensar que era capaz de fazer aquilo

A peça jornalística, realizada em Ribeira d’Ilhas durante o EDP Billabong Pro Ericeira, conjuga o formato de artigo com entrevista e aborda diversos temas: das ondas gigantes da Nazaré ao historial de Joana no surf, em que se iniciou aos 14 anos de idade, e também enquanto big wave rider, passando ainda por um lado mais íntimo e menos conhecido da atleta.

O medo é bom, mantém-te alerta e aguça os teus instintos

Ilustrado, sobretudo, por fotografias da Nazaré e da Ericeira, são várias as passagens marcantes – além daquela que puxámos para título do nosso artigo –, pelo que aconselhamos a leitura integral do texto original.

Joana Andrade - ph. North Canyon