Palácio Nacional de Mafra pretende reabrir Museu de Escultura

Palácio de Mafra. - ph. António Almeida

 

Fotografia: DR

 

O Palácio Nacional de Mafra, monumento que comemora actualmente os 300 anos, pretende reabrir as portas do antigo Museu de Escultura Comparada, encerrado há 44 anos e que retém mais de uma centena de réplicas de esculturas portuguesas e francesas dos séculos XII a XVI.

Este Museu foi inaugurado em 1963 e permaneceu aberto até 1973. Segundo Mário Pereira, director do Palácio, este espaço de 10 anos serviu de resposta às necessidades culturais que se faziam notar na altura, visto que naquela época em Mafra (escolhida por ter uma escola de escultura) não existia a facilidade de mobilidade e comunicação dos dias de hoje.

De acordo com o Observador, neste espólio encontra-se mais de uma centena de moldagens a partir de gesso que replicam várias obras originais dos séculos anteriores, de várias épocas, estilos e nacionalidades.

A colecção é composta por mais de 50 peças nacionais, reunidas ainda em 1940, à qual se juntaram outras estatuetas francesas provenientes da “Exposição de Arte Francesa” realizada em 1934, que mais tarde foram adquiridas pelo Estado Português, e ainda algumas esculturas moldadas em Coimbra no final do século XIX.

Ainda sem previsão de data para a reabertura do antigo museu ou do orçamento necessário para as respectivas obras, o Palácio Nacional de Mafra aguarda mecenas para o financiamento deste espaço museológico.