Palácio de Mafra é o monumento mais visitado do desconfinamento

 

Fotografia: Smart Sat

 

Nos dois meses posteriores ao desconfinamento o Palácio Nacional de Mafra foi o equipamento cultural sob tutela da Direcção-Geral do Património Cultural que registou o maior número de visitantes em Portugal.

Após a declaração do Estado de Emergência, realizado a meados de Março em sequência da actual pandemia do novo Coronavírus (causador da doença Covid-19), os monumentos, museus e palácios nacionais foram encerrados como uma das diversas medidas preventivas tomadas pelo Governo.

Tendo estado encerrados durante cerca de dois meses, estes equipamentos culturais apenas voltaram a abrir portas a 18 de Maio de 2020, sendo ao período entre esta data e o dia 17 de Julho a que se referem os dados estatísticos disponibilizados à AZUL pela Assessoria de Imprensa da Direcção-Geral do Património Cultural – DGPC.

o Palácio Nacional de Mafra recebeu um total de 13.015 visitantes entre 18 de Maio e 17 de Julho de 2020

Ora, ao longo destes dois meses o Palácio Nacional de Mafra recebeu um total de 13.015 visitantes, o que corresponde a 13,7 por cento do total das visitas aos equipamentos culturais DGPC no mesmo período, que foi de 95.044 visitantes. Entre os equipamentos culturais sob a tutela da DGPC encontram-se, por exemplo, o Mosteiro dos Jerónimos, a Torre de Belém, o Museu Nacional dos Coches, o Palácio Nacional da Ajuda e os mosteiros de Alcobaça e da Batalha.

A evolução do número de visitantes no Palácio Nacional de Mafra relativamente a este período foi a seguinte:

18-31 de Maio: 1.400 visitantes
1-17 de Junho: 4.574 visitantes
18-30 de Junho: 2.345 visitantes
1-17 de Julho: 4.696 visitantes

um dos factores que ajudarão a explicar esta liderança do ranking residirá no facto de as pessoas considerarem segura a visita

Contactado a este propósito pela AZUL há cerca de uma semana, o Director do Palácio Nacional de Mafra, Dr. Mário Pereira, referiu que um dos factores que ajudarão a explicar esta “liderança do ranking” residirá no facto de as pessoas considerarem segura a visita ao Palácio Nacional de Mafra, até pela grandiosidade do espaço e da respectiva arquitectura. Nesta fase as visitas ao espaço já são praticamente integrais, existindo um bypass para que as pessoas não se cruzem no interior do monumento.

O Real Edifício de Mafra (que integra o Palácio, a Basílica, o Convento, a Tapada e o Jardim do Cerco) encontra-se inscrito na lista do Património Mundial da UNESCO há cerca de um ano.

Palácio Nacional de Mafra - litografia de João MacPhail

Palácio Nacional de Mafra – litografia de João MacPhail

Esta publicação também está disponível em | This article is also available in: Inglês