“Nata” da WSL vai disputar o EDP Billabong Pro Ericeira

Allianz World Junior - ph. José Guerra

 

Fotografia: José Guerra

 

A lista provisória de inscritos para o EDP Billabong Pro Ericeira, recém-criado QS10000 que substitui o de Carcavelos e que vai ser disputado entre 24 e 30 de Setembro, já se encontra disponível no site da World Surf League.

Entre os nomes destaca-se a presença de vários surfistas do World Tour, com grande ênfase para Gabriel Medina, Italo Ferreira e Matt Wilkinson, todos no Top 5 da divisão principal do Surf internacional.

O campeão mundial de 2014 e actual número 2 mundial regressa assim à Ericeira, 7 anos depois de ter sido finalista vencido do último campeonato do WQS ali disputado – perdeu para Julian Wilson, no heat que deu início à rivalidade entre ambos. Foi esse mesmo resultado alcançado em Ribeira d’Ilhas que garantiu ao surfista brasileiro a entrada para o World Tour, ainda a meio dessa temporada de 2011 – num cut que só existiu nesse mesmo ano.

Medina é assim o “cabeça-de-série” da lista de inscritos, onde também saltam à vista os nomes de Italo Ferreira, actual número 4 do Mundo, Matt Wilkinson (com Wildcard) ou Adriano de Souza, campeão mundial de 2015.

Também presente, está Frederico Morais, um dos três portugueses com lugar já garantido na Ericeira. Vasco Ribeiro e Miguel Blanco – pela primeira vez desde que é top 100 mundial – são os outros dois com entrada directa.

Vasco Ribeiro. ASP World Junior Ericeira 2014. - ph. José Guerra

Vasco Ribeiro.

Outros tops da elite mundial inscritos são os brasileiros Willian Cardoso, Michael Rodrigues, Tomas Hermes, Yago Dora, Jesse Mendes e Ian Gouveia, os norte-americanos Griffin Colapinto e Pat Gudauskas, o japonês Kanoa Igarashi, os havaianos Zeke Lau e Keanu Asing, o australiano Connor O’Leary, o sul-africano Michael February e o francês Joan Duru. Destaque ainda para a presença do australiano Mikey Wright, que está praticamente garantido na elite em 2019 – via WCT.

E entre a nata do top 100 mundial, que luta arduamente para chegar à elite mundial em 2019, ninguém vai faltar à chamada para competir nas ondas da Ericeira, a primeira Reserva Mundial de Surf na Europa. O havaiano Seth Moniz, actual líder do ranking WQS, o brasileiro Peterson Crisanto, o francês Jorgann Couzinet ou o norte-americano Evan Geiselman são algumas das estrelas em ascensão que estão presentes nesta lista de inscritos.

Destaque ainda para a presença de vários ex-tops do WCT nesta lista provisória – que, refira-se, ainda pode contar com alterações até à data do evento, sobretudo devido a lesões ou desistências. São os casos dos brasileiros Jadson Andre, Alejo Muniz, Wiggolly Dantas e Alex Ribeiro, dos australianos Jack Freestone, Ryan Callinan, Dion Atkinson, Stu Kennedy, Davey Cathels e Ethan Ewing, do norte-americano Nat Young, do basco Aritz Aranburu e do neozelandês Ricardo Christie. Na lista de alternates estão ainda os brasileiros Heitor Alves e Raoni Monteiro, ambos com boas possibilidades de entrada, e o australiano Matt Banting.

Todos estes nomes, juntamente com outros tantos que ainda procuram o seu lugar ao sol no surf mundial, dão assim um contorno de etapa de CT a este QS10000, o terceiro da temporada 2018. Em relação aos portugueses registo ainda para a presença de quatro nomes na lista de alternates, embora todos longe das primeiras posições. São eles Tomás Fernandes, Pedro Coelho, Luís Perloiro e o local Francisco Carrasco.

Contudo, estes jovens surfistas ainda podem sonhar com um wildcard que lhes dê entrada no evento. Para já, só um de seis já está entregue, com Matt Wilkinson a ser o destinatário – talvez por ter falhado a inscrição em tempo útil. Sendo um campeonato da Billabong e tendo em conta o que aconteceu sempre em Cascais, Tomás Fernandes também deverá ter o seu convite, até porque irá competir em casa, onde já conseguiu um excelente resultado (3ª posição) no Allianz World Junior, disputado em 2014.

A dez dias do arranque da acção, esta lista provisória de inscritos faz crescer ainda mais água na boca para um dos campeonatos mais aguardados do ano. O nível vai estar certamente bem elevado e o EDP Billabong Pro Ericeira reúne todos os condimentos para performances incríveis num dos anfiteatros mais emblemáticos do surf português.

Da última vez que tal aconteceu, em 2011, a Ericeira acabou por constituir um marco para a geração que domina actualmente o surf mundial. Vamos esperar para ver o que acontece este ano…