Menos profissionais nas urgências do Centro Hospitalar do Oeste

Hospital. - ph. Erik van Rosmalen

 

Texto: AZUL/Lusa | Fotografia: Erik van Rosmalen

 

O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) vai reduzir os médicos de diversas especialidades nas urgências de Torres Vedras e Caldas da Rainha a partir de 1 de Novembro.

De acordo com uma circular interna do CHO, a que a agência Lusa teve acesso, a redução dos médicos vai ocorrer com maior incidência no período noturno – das 00 às 08h. As urgências de Caldas da Rainha e Torres Vedras vão perder um clínico geral, disponível 24 horas, e um cirurgião, no horário da noite. As equipas de pediatria a sul das Caldas da Rainha vão passar a ter apenas um profissional disponível.

O CHO abrange as unidades hospitalares de vários concelhos do Oeste, entre eles Torres Vedras. Esta unidade tem como áreas de influência, entre outras, Mafra e Ericeira nos serviços de cirurgia, pediatria e ortopedia.

À Lusa, o CHO justificou que “a reorganização das equipas médicas tem por finalidade adaptar a constituição das equipas à afluência de doentes e ao trabalho desenvolvido.”

Em resposta, a delegação regional da Ordem dos Médicos contestou a medida no sábado por chocar com os números mínimos estabelecidos pela Ordem para cada especialidade. O presidente da delegação, Pedro Coito, disse à Lusa que esta reorganização “põe em risco a qualidade do serviço prestado, viola o que está regulamentado e não passa de uma questão economicista sem ter em conta as necessidades dos doentes e dos profissionais”. O cirurgião teme que esta redução leve a um encerramento futuro das urgências dado que, desde Maio, foram fechados os serviços de maternidade e grande parte do internamento pediátrico em Torres Vedras e de ortopedia nas Caldas da Rainha.

Por seu turno, o CHO garante que “o número de médicos cumpre as recomendações de boas práticas e assegura uma adequada resposta, em cada uma das especialidades, à procura que existe na prática”.

Um grupo de cirurgiões de Caldas da Rainha fez chegar ao CHO uma carta, a que a Lusa teve acesso, ameaçando boicotar o serviço de urgências noturno.

O CHO abrange os concelhos de Alcobaça, Bombarral, Caldas da Rainha, Nazaré, Óbidos e Peniche, Cadaval, Lourinhã, Torres Vedras e parte do concelho de Mafra, mas Alcobaça e Nazaré vão passar a ser servidos pelo Hospital de Leiria.