Filarmónica da Ericeira celebra aniversário online

 

Fotografia: DR

 

Ontem a Filarmónica Cultural da Ericeira (FCE) celebrou o 171º aniversário.

Este será um aniversário passado à distância – sem concertos, jantares, arruadas ou momentos de convívio –, devido ao actual contexto pandémico, mas no qual a banda decidiu reocupar espaços que lhe são familiares e tocar.

Daqui resultou uma série de vídeos musicais rodados em diversos locais emblemáticos: a Casa de Cultura Jaime Lobo e Silva, que acolhe os concertos de Primavera e Outono e as audições de fim de ano da Academia de Música da Ericeira; o Parque de Santa Marta, que acolhe as Festas de Santa Marta e onde a banda ensaia ao longo do ano; o Mercado da Ericeira, que visitam nas festas em honra de Nossa Senhora da Boa Viagem; a Igreja de São Pedro, onde actuam em procissões e normalmente no Natal; e as casas dos músicos, que este ano são também um local de estudo, de ensaio e de música.

1 Paixão e 7 Notas, tudo isto em 1 só Banda

Os elementos da banda surgem juntos, em pequenos grupos de músicos, com as devidas medidas de segurança, e tudo foi planeado para surpreender o público com a vastidão e solidão dos locais escolhidos – uma actuação sem o calor do público aproxima-se mais dum ensaio do que dum concerto.

Foram gravados cinco temas, entre os quais dois compostos por Ennio Morricone, que resultam numa homenagem ao conceituado compositor recentemente falecido e a todos os agentes de saúde pública que têm trabalhado e lutado para conter a pandemia e minimizar os seus efeitos e impactos.

Os vídeos serão lançados ao longo da semana de comemoração do aniversário. Neste, João Ganhoteiro Silva, Presidente da Associação Filarmónica Cultural Ericeira, dirige-se a todos numa mensagem que contextualiza as comemorações do 171º Aniversário da Música Filarmónica na vila da Ericeira.

A AFCE agradece assim a todos os que contribuíram na produção destes vídeos, nomeadamente à Câmara Municipal de Mafra, à Junta de Freguesia da Ericeira, à Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Mafra, à Paróquia de São Pedro, à Higiex, a Carlos Ribeiro (CR-Ericeira Produções), à AZUL – Ericeira Mag, a Francisco Caldeira e a Afonso da Costa Lopes, sem os quais não teria sido possível realizar este projecto.

alguns alegam que a FCE é a mais antiga banda filarmónica da região

Foi a 6 de Agosto de 1849 que António da Costa Batalha, Joaquim Elisário Ferreira e Frei Vicente de S. Joaquim Rodrigues da Costa fundaram a primeira banda filarmónica que a Ericeira viria a ter. Alguns alegam ser a mais antiga da região, como refere Jaime Lobo e Silva na sua obra “A Banda da Minha Terra”.

O ano de 2020 vai ficar para marcado na História colectiva e no percurso da FCE como um ano atípico: a Covid-19 veio colocar em pausa as atividades da associação, nomeadamente as suas apresentações públicas. É, no entanto, importante pensar e partilhar o trajecto desta casa centenária.

Parabéns à Música Filarmónica da Ericeira por honrar o seu passado centenário. Parabéns à Ericeira por continuar a acreditar na sua banda. Parabéns aos músicos e maestros desta casa, vivos e falecidos, que sempre usaram com orgulho o azul que os distingue.