Ermida de São Sebastião classificada como monumento de interesse público

Capela de São Sebastião - ph. AZUL

 

Fotografia: AZUL

 

A Ermida (ou Capela) de São Sebastião, na Ericeira, foi recentemente classificada como Monumento de Interesse Público pelo Governo, que também decidiu criar uma zona de protecção para preservar este imóvel histórico.

Segundo portaria publicada no dia 3 de Janeiro em Diário da República, o interesse público é atribuído à Capela por ser um “testemunho simbólico ou religioso pelo seu valor estético, técnico e material intrínseco, concepção arquitectónica, urbanística e paisagística e pelo que nela se reflecte do ponto de vista da memória colectiva”.

A Capela de São Sebastião, situada entre as praias do Algodio (ou Norte) e São Sebastião, é resultado da reconstrução setecentista de um templo anterior do século XIII que existiria na segunda metade do século XVI e que no século XX teve obras de ampliação. A arquitectura actual do monumento permite observar diferentes elementos provenientes de épocas distintas, como o altar (que terá sido colocado no seu interior em 1567 a pedido de um grupo de moradores da Ericeira), dos azulejos do século XVII que forram o interior da ermida e do retábulo-mor maneirista em mármore.

No Largo de São Sebastião é criada uma zona especial de protecção

No Largo de São Sebastião, onde se localiza esta ermida, é criada uma zona especial de protecção, pelo facto de a Capela estar implantada sobre a arriba da Praia dos Pescadores e também para impor condicionalismos urbanísticos destinados à sua preservação.

A portaria refere, neste âmbito, que qualquer intervenção, projecto ou operação urbanística com impacto no solo ou subsolo no local deve ser precedida de trabalhos de prospecção arqueológica e ter acompanhamento arqueológico.

Além disso, eventuais obras nos edifícios envolventes devem respeitar a volumetria dos edifícios confinantes e deverão manter-se as fachadas e coberturas existentes e todos os elementos arquitectónicos qualificados, a nível exterior.

A construção de novos edifícios deve respeitar os valores e enquadramentos arquitectónicos relevantes, bem como as características da malha urbana envolvente. Só podem ser demolidos os edifícios que, em situação de catástrofe resultante de fenómenos de natureza imprevisível, estiverem em comprovado estado de ruína eminente.

A portaria estabelece, por fim, que devem ser realizadas acções necessárias à consolidação e manutenção da arriba.

 

Ermida de São Sebastião - ph. DR

A confraria de S. Sebastião, constituída exclusivamente por rapazes solteiros, tinha sede na capela. Até 1968 ali estiveram as tumbas deste grupo, entretanto transferidas para a Misericórdia, juntamente com as existentes na Igreja Paroquial.

Desde há vários anos que no final de Janeiro se realizam junto à capela as Festas em Honra de S. Sebastião e S. Vicente, em tempos a maior celebração da vila e arredores. Hoje em dia, os festejos são também conhecidos como Festa dos Bêbados. Depois da celebração da missa, as gentes da Ericeira (e demais visitantes) juntam-se no largo da Igreja para dançar ao som de música popular, comer bolos regionais e beber um copo de vinho tinto proveniente de pipas oferecidas para o evento.