Cátia Alpedrinha Caetano: “Achei que era uma boa fusão: o surf e a pesca. O mar”

Cátia Alpedrinha Caetano - ph. Nair

 

Texto: Hugo Rocha Pereira | Fotografia: Nair

 

Desde Abril que o centro da Ericeira exibe com orgulho uma exposição onde o mar jagoz se desdobra em duas vertentes cheias de passado, presente e futuro: a mostra “Retratos em Família”, de Cátia Alpedrinha Caetano, espalhou arte salgada pelo espaço público da vila e foi vista por incontáveis olhos de locais e visitantes. Agora que o período desta iniciativa chega ao fim, publicamos o resultado duma conversa com a autora, onde se fala sobre este projecto (do conceito aos episódios caricatos, passando pelos critérios na escolha dos protagonistas) e os seus planos no âmbito fotográfico.

 

Qual tem sido o feedback da exposição “Retratos em Família” não só da segunda etapa como da fase inaugural?

O feedback tem sido muito bom. É uma óptima oportunidade poder mostrar um pouco do meu trabalho relacionado com retrato, desta vez com famílias da Ericeira.

Tento sempre transmitir o conceito e a personalidade de cada um

O que te levou a dividir a mostra em duas fases?

Dividi em duas fases porque eram muitas fotografias, e assim tornou-se mais simples conciliar as sessões fotográficas para a exposição e o meu trabalho habitual. As datas foram escolhidas pela Câmara Municipal de Mafra, que me apoiou desde o inicio, e aproveito para agradecer a toda a equipa.

 

E porquê juntar alguns retratos individuais na segunda fase?

Pela dificuldade que encontrei em fotografar algumas das famílias que achava importante que fizessem parte da exposição. Infelizmente. acabei por perder demasiado tempo e decidi simplificar.

Retratos em Família - ph. Cátia Alpedrinha Caetano

Retratos em Família – ph. Cátia Alpedrinha Caetano

Qual a razão para juntares surf e pesca na mesma expo?

Resolvi juntar surf e pesca na mesma exposição porque a Ericeira é tradicionalmente uma vila piscatória e eleita Reserva Mundial de Surf. Achei que era uma boa fusão: o surf e a pesca. O mar.

 

Apenas na Ericeira seria possível juntar estas duas tribos marítimas? Vias-te a adaptar o conceito a outras localidades?

Claro. Se o tema fosse o mesmo, podia fazer em vários sítios: Peniche, Nazaré, Sagres, etc. Mas os Retratos em Família podem ter variadíssimos temas. No meu site podem ver alguns exemplos.

Retratos em Família Paulo Martins - ph. Cátia Alpedrinha Caetano

Que critérios seguiste para escolher os protagonistas dos “Retratos em Família”?

Algumas famílias já conhecia, outras famílias conheci através da Câmara Municipal e do Ericeira Surf clube.

Uns estrangeiros arrancaram o suporte e andaram durante a noite com ele de bar em bar.

Houve muitas primeiras escolhas que ficaram de fora? Porquê?

Houve, sim. Houve famílias que foram contactadas e que não quiseram aparecer na exposição. Outras não puderam por compromissos profissionais. Outras que sempre quiseram mas nunca apareceram. Mas está quem deveria de estar.

 

Fala-nos do episódio mais caricato desta mostra patente na via pública: o desaparecimento e posterior recuperação de alguns retratos.

Desapareceu um suporte com duas fotografias. Uns estrangeiros arrancaram o suporte e andaram durante a noite com ele de bar em bar. Apareceu intacto numa obra uma semana depois. Agradeço ao dono do alojamento onde os estrangeiros estavam hospedados por ter guardado as minhas fotografias com amor e carinho.

 

Recentemente, o projecto “Retratos em Família” saiu para experiências fora de Portugal. Como correu? Poderemos vir a ter mostras internacionais no futuro?

Fui a Londres e Berlim fotografar e fiz alguns Retratos em Família também. Correu muito bem. Adoro o que faço e se puder aliar a fotografia com viagens, que são outras das minhas paixões, perfeito!! Em relação a expor fora de Portugal, quem sabe? Veremos.

 

O que mais gozo te dá neste projecto?

Eternizar o momento. Encontrar famílias que percebam o conceito e que me ajudem a transmitir a sua essência através dos Retratos.

Fui a Londres e Berlim fotografar e fiz alguns Retratos em Família

Fala-nos um pouco mais do conceito de família sujacente a este projecto.

Contar uma História com o conjunto: cenário, pessoas, adereços, maquilhagem, roupa. Isto são os Retratos em Família. Fotografias da família num cenário que faça sentido para todos e onde se sintam à vontade. Tento sempre transmitir o conceito e a personalidade de cada um nesses Retratos. Há sempre pelo menos um Retrato mais Teatral e com pose, depois fazemos outros menos formais. Tudo depende da família e do que pretende.

 

Quais serão os teus próximos passos na fotografia?

Em relação aos Retratos em Família, temos uma novidade: começámos a acompanhar famílias nas suas viagens. Este é um novo serviço dos Retratos em Família. Viajamos com as famílias para eternizar o momento. Tenho mais um projecto em mãos de que ainda não posso falar. Está relacionado com Retrato, mas não com famílias. Na Ericeira também haverá mais.