A Vida Não Pára: Carla Sousa Silva

 

Fotografia: DR

 

Carla Sousa Silva

Enfermeira Gestora das Unidades de Saúde de Mafra

 

Como tem corrido o seu trabalho neste período de pandemia que atravessamos?

Desde que se iniciou esta Pandemia, os serviços tiveram que se adaptar de acordo com as orientações da Direcção-Geral da Saúde. Ou seja, tivemos de elaborar os Planos de Contingência para todos os serviços, tivemos de abrir um serviço de atendimento a doentes suspeitos de infecção com coronavírus – ADC e abrimos um Centro de Testes Covid-19 em articulação com o laboratório Germano de Sousa e com a Câmara Municipal de Mafra.

Foi também necessário adaptar os cuidados que prestávamos nos serviço, em que muitos deles são realizados no domicilio dos utentes, nomeadamente dos idosos a necessitar de cuidados curativos, de forma protegê-los de possíveis contágios – temos actualmente 10 profissionais a fazer visitação domiciliária em todo o Concelho de Mafra. Também para estas actividades foi imprescindível a colaboração da Câmara Municipal de Mafra , que nos disponibilizou mais quatro viaturas para dar resposta a este aumento de visitas domiciliárias.

Todas estas actividades exigiram que se reorganizassem os recursos físicos e humanos, de forma a dar resposta às solicitações da população, e realizaram-se de forma muito rápida, o que exigiu muito empenho e dedicação de todos os profissionais, aos quais agradeço publicamente.

 

Na área da saúde os cuidados especiais adoptados durante a actividade profissional são imensos. Como tem corrido esta adaptação?

Não tem sido fácil, porque exigiu ter os recursos materiais (que têm sido escassos) necessários, exigiu formação e treino de todos os estratos profissionais, exigiu que passássemos a estar mais atentos a todos os passos que realizamos, de forma a evitar que os profissionais se contaminem e, consequentemente, contaminem as suas famílias e também que os serviços sejam 100% seguros para os utentes que nos procuram. Foram planeados novos procedimentos, novos circuitos para os utentes e para os profissionais.

Todas estas actividades exigiram que se reorganizassem os recursos físicos e humanos, de forma a dar resposta às solicitações da população

A enfermagem é sempre bastante importante e ganha especial relevo nesta fase: pensa que as pessoas agora olham para esta profissão doutra forma?

A enfermagem tem sido uma profissão muito mal tratada e não tem sido reconhecida pelos nossos governantes, basta vermos o valor pago à hora a quem acaba o curso actualmente, a não actualização salarial, o não pagamento de qualquer subsidio de risco, etc. Quem passa pelos serviços hospitalares, cuidados saúde primários e cuidados continuados reconhece que são os profissionais que estão 24 horas junto dos utentes.

Como tem vivido este período provocado pela pandemia do novo Coronavírus (Covid-19)?

Todos nós temos vivido este período muito intensamente, parece que estamos neste período há vários meses, as nossa rotinas forma completamente alteradas, não podemos estar junto da nossa família, tem sido trabalho-casa e casa-trabalho, só se sai para as compras uma vez por semana. Falta o passeio ao final do dia e a estabilidade emocional a que estamos habitados. Nota-se também que os utentes estão muito ansiosos, agressivos e muitas vezes não compreendem os procedimentos que são necessários realizar e não compreendem as dificuldades que os profissionais também estão a passar.

façam o vosso isolamento social, saiam à rua só quando estritamente necessário e protejam-se

Gostava de deixar alguma mensagem para os leitores da AZUL?

Sim, que façam o vosso isolamento social, saiam à rua só quando estritamente necessário e protejam-se. Continuamos a ver o número de infectados do concelho de Mafra a aumentar diariamente.