A Vida Não Pára: António Franco Alberto

 

Fotografia: DR

 

António Franco Alberto aka ‘Tó Pesca Franco’

Pescador

 

Como tem corrido o teu trabalho neste período de pandemia que atravessamos?

O trabalho tem corrido bem, temos apanhado bons peixes e temos vendido em lota muito bem. O problema está que ao fim-de-semana não podemos ir ao mar e com as condições deste Porto temos pouco dias para trabalhar. Antes de fazerem estas leis deviam falar com as associações da pesca artesanal para nos ouvirem antes de tomarem decisões.

Que cuidados especiais tu e os teus colegas têm tido durante a vossa actividade profissional?

Temos usado máscara e luvas. As luvas já usamos há muitos anos e agora usamos também viseira – e sem isto não se entra na lota. Desinfectamos as mãos com lixívia muitas vezes. A máscara é que não é fácil de usar, fica molhada e é um pincel no mar.

Comprem peixe com certificado em lota

A pesca é sempre bastante importante e ganha especial relevo nesta fase: pensas que as pessoas agora olham para a vossa profissão doutra forma?

A pesca é sempre importante, certas pessoas não lhe dão o real valor. Agora estão a dar mais porque querem peixinho fresco e não está fácil. Comprem peixe com certificado em lota, assim ajudam os pescadores de Norte a Sul.

Como tens vivido este período provocado pela pandemia do novo Coronavírus (Covid-19)?

Basicamente, é ir para o mar às quatro da manhã e vir ao meio-dia pôr o peixe na lota. A seguir vou para casa e não saio. Ando sempre com o coração nas mãos por causa da minha filha, que é enfermeira, estar na linha da frente.

Ando com o coração nas mãos por causa da minha filha, que está na linha da frente

Gostavas de deixar alguma mensagem para os leitores da AZUL e a comunidade em geral?

Os que podem, fiquem em casa; e os que não podem, protejam-se – e saúde para todos!