A Ericeira pelos Olhos de: Gianmarco Russell Nevi

 

Fotografia: DR

 

Bilhete de Identidade

Gianmarco Russell Nevi (também conhecido como ‘Paso’)

Nascido a 12 de Junho de 1981 (38 anos) em Narni, Italia.

Conhece a Ericeira desde 2009 e aqui vive desde 2015.

Videógrafo freelancer e treinador de ténis.

A Ericeira é a casa que escolhi

Gianmarco vive entre as aulas de ténis e as produções videográficas.

A Ericeira é “a casa” que escolhi.

 

O que mais ama e menos gosta na Ericeira?

Gosto do facto de ser um “micro-cosmos” único, um lugar que permite cruzar histórias e pessoas tão diferentes. Pelo lado menos positivo, o facto de ter um envolvimento turístico tão grande e específico talvez possa afectar outros aspectos.

 

Quais são os seus locais favoritos?

As praias de São Julião, Algodio e dos Coxos em condições de mar gigante; o Miradouro da Praia do Norte (ou Algodio), o ‘Jogo da Bola’ e o centro da vila em geral bem cedo de manhã, o restaurante Mar d’Areia, o Adega Bar, a Barbearia Neves e o Clube Moínhos do Mar, o escritório do meu coração.

A Ericeira pode e deve oferecer muito mais que dormir-comer-surfar

Quais são as suas principais preocupações no presente e para o futuro da Ericeira?

O principal risco, na minha opinião, é perder-se o controlo no desenvolvimento do turismo ligado ao surf e a Ericeira ficar demasiado estática-passiva no meio de tantas mudanças rápidas. A Ericeira tem uma “alma” tão atractiva que pode e deve oferecer muito mais que “dormir-comer-surfar” em termos de cultura e actividades, sobretudo para quem vive a vila. Existe, de facto, o perigo de ficar agarrada ao desenvolvimento do surf e passar a ser só um sítio de férias de surf. Parece que falta um projecto mais amplo para descolar desta imagem, que já está a funcionar mas que também se encontra um bocado no limite.

 

Sabe o que é ser Jagoz?

Jagoz é, tecnicamente, quem nasceu aqui ou que vem de famílias locais. Resumindo: “Filho da Ericeira”.